sexta-feira, 13 de agosto de 2010

JOGOS EDUCATIVOS

São considerados ambientes de aprendizagem que não fornecem o conteúdo diretamente ao aluno, mas que utilizam-se do cognitivismo, ou seja, o aluno aprende através da busca, da descoberta e do raciocínio.

Segundo Piaget, o jogo tem uma relação estreita com a construção da inteligência e possui uma efetiva influência como instrumento incentivador e motivador no processo de ensino-aprendizagem. Na concepção piagetiana, os jogos consistem numa simples assimilação funcional, num exercício das ações individuais já aprendidas gerando, ainda, um sentimento de prazer pela ação lúdica em si e pelo domínio sobre as ações. Portanto, os jogos teriam uma dupla função: consolidar os esquemas já formados e dar prazer ou equilíbrio emocional.

Segundo Vygotsky, o lúdico influência enormemente o desenvolvimento da criança. É através do jogo que a criança aprende a agir, sua curiosidade é estimulada, adquire iniciativa e autoconfiança, proporciona o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da concentração.

Piaget classificou os jogos correspondendo a um tipo de estrutura mental:
- Jogos de exercício sensório-motor: utilizados desde o nascimento até os 2 anos aproximadamente, na qual a criança brinca sozinha, sem utilização da noção de regras.
- Jogos simbólicos: utilizados dos 2 aos 6 anos, na qual as crianças adquirem a noção da existência de regras e começam a jogar com outras crianças jogos de faz-de-conta.
- Jogos de Regras: utilizados dos 7 aos 11 anos, na qual as crianças aprendem regras e jogam em grupos, numa fase de jogos como futebol, damas etc.

O uso da informática na educação através de softwares educativos possibilitou um ambiente de aprendizagem que une as características dos jogos com as de software. Ou seja, o aprendizado pode ser mais agradável e interessante, devido à possibilidade maior de interação nos jogos e por estes incluírem sons, fotos, imagens, animações entre outras mídias.

Sendo assim, nós somos produtos de interação permanente, onde nada se constrói sozinho, é na interação com o outro que melhores resultados são obtidos e que a aplicação de jogos educativos dentro de uma abordagem tecnológica só amplia o processo de ensino-aprendizagem do educando, assim como também é um recurso de eficácia para o educador dentro dos seus processos educacionais.

MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos."Jogos educativos" (verbete). Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 2002, http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp?id=58, visitado em 14/8/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário